24
Mai 12
publicado por Sofá Rouge, às 11:34link do post | comentar | ver comentários (1)
A arte de bem passear o pensamento, é sempre acompanhada de um momento de ilusão e esquecimento, pelas viagens aos nosso sub-consciente.
tags:

20
Mai 12
publicado por Sofá Rouge, às 12:29link do post | comentar | ver comentários (2)







branco.






Book trailer, aqui.






tags:

18
Mai 12
publicado por Sofá Rouge, às 23:25link do post | comentar

tags:

publicado por Sofá Rouge, às 22:33link do post | comentar | ver comentários (1)

tags:

publicado por Sofá Rouge, às 22:31link do post | comentar | ver comentários (1)

tags:

publicado por Sofá Rouge, às 22:29link do post | comentar

tags:

17
Mai 12
publicado por Sofá Rouge, às 15:12link do post | comentar

Cruas e duras senão secas
as cordas afónicas mais serão
dos gritos que esperas em torpedos
além das vozes que espirras ledas
e não és senão vivo caixão
das pontas e voltas desses pregos.

tags:

15
Mai 12
publicado por Sofá Rouge, às 15:43link do post | comentar | ver comentários (3)
Tal como prometido, aqui fica o link para download do meu recente livro "Perfeitos encaixes".

Espero que o apreciem, embora seja um conjunto de pequenos textos reunidos com o único propósito de fazer nascer este singular livro.

A ideia de o distribuir gratuitamente é algo que me dá especial prazer.  Sei que não é algo de novo, mas penso que também nos cabe a nós, autores, poder proporcionar leitura universal e de acesso total.

Espero que o apreciem e, acima de tudo, que o partilhem com todos!

DOWNLOAD

OU

DOWNLOAD

(para fazerem o download devem fazer descer a página do browser até final e encontrarão um botão a dizer "regular download" com um contador decrescente de tempo. No fim do tempo, podem descarregar)


tags:

14
Mai 12
publicado por Sofá Rouge, às 11:54link do post | comentar | ver comentários (1)
Brevemente um novo livro. Desta vez em e-book e vai ser distribuído por aqui.
Que tal?
Beijos e abraços

tags:

08
Mai 12
publicado por Sofá Rouge, às 17:26link do post | comentar | ver comentários (1)

Acendes archotes em vigas erectas
e agarras as crinas de pelos macios
compridas ou curtas na mão que segura
em investidas traseiras de peitos abertos
os quatro suportes anseiam as ondas
das vagas que voltam a ritmos incertos
e fazem soltar o gemido que escondes
na boca que cerras em dor da lembrança
do jeito que era do peito no peito
enquanto as ondas sentidas teriam
em vagas incertas é certo seriam
o calor que do peito no peito fervia
e o sexo de sexo já nada seria
apenas amor de amor se fazia.

tags:

publicado por Sofá Rouge, às 17:11link do post | comentar | ver comentários (1)

Embrulhos caseiros de algodão doce
em pacotes de cetim e laços azuis
atestam-te a alma de doces enfeites
e de suaves deleites bailando na boca
ao sabor da aurora que breve se faz
e baixas o braço na espera que dás
aos olhos que mirem o raio de luz
do sorriso que abres na imagem de mim.

tags:

publicado por Sofá Rouge, às 17:02link do post | comentar | ver comentários (1)

Gosto de mim e de ti gosto do mundo e da vida gosto de tudo e de nada gosto porque gosto e não por nada e porque gosto de gostar e gosto do gostar é que gosto de mim e de ti porque sim porque sim porque não também é sim e porque do sim e do não se faz futuro e do gostar se faz madrugada é que gosto de ti e de mim não só hoje porque sim nem amanhã só porque então mas de sempre como quem gosta apenas de mim e de ti em pequenos nadas de gostos e desgostos porque nem só de gostos se faz feliz nem só desgostos nos fez aqui mas também faz de mim e de ti todo o gosto que nos tenho e desse gosto é que te gosto mesmo que apenas de mim e de ti apenas de mim e de ti.

tags:

publicado por Sofá Rouge, às 16:53link do post | comentar | ver comentários (1)

E o pequeno rapaz, que já não era pequeno há muitos anos, chegando junto do balcão, perguntava, incrédulo:
- Mas é mesmo verdade? A sério?
Os olhos arregalados evidenciavam o espanto de quem não queria acreditar, ou jamais vira tal coisa. Assunto sério, de elevada moralidade, recheado de novidade, assombrava-lhe a alma neste breve instante, de frente para o espelho que reflectia todo o peso deste menino, já pouco novo.
- Não pode ser! Só pode ser engano. Ninguém faz isso só por fazer. - repetia, vezes sem fim, à sua imagem oposta na parede que segurava o seu reflexo.
- Os meninos não crescem! Os meninos pequenos, ficam pequenos para sempre! Quem és tu, que mexes os meus lábios e piscas os meus olhos e abanas as minhas mãos e vestes as minhas roupas?
Aos poucos, as suas perguntas abafadas e feitas de si para si, tornavam-se gritos, em crescendo de emoção e lágrimas em torrentes.
- Quem? Quem? - questionava de braços no ar - Quem és tu que me tomaste e apoderaste do meu corpo? Quem, demónio sujo que de mim levaste o meu ser? Vai-te e leva-me contigo, mas deixa-me a alma que me pertence!
Os meninos pequenos não ficam crescidos. Nem os espelhos devolvem os pequenos meninos.
Levam tudo e devoram almas, em raios foscos, invisíveis, de tentação.
Os meninos pequenos não ficam crescidos. Nem os crescidos meninos foram já pequenos.

tags:

publicado por Sofá Rouge, às 12:31link do post | comentar | ver comentários (6)

Sinto saudades, sabes? Saudades tuas, do teu cheiro, do teu abraço, da tua voz que nunca ouvi. Saudades de seres em mim o que nunca vi ou senti. Saudades dos olhos que não conheço, de cores ouvidas ou conhecidas em retratos velhos. Sinto-te falta em mim. Nas longas conversas que nunca tivemos, nos conselhos que nunca me deste. Sinto falta de ti. Sinto a falta desse abraço vazio de palavras, no silêncio do momento, em que tudo é dito de olhos fechados e lábios cerrados. Sinto a falta desse colo, do teu colo. Não de um colo qualquer, não. Desse, do teu.
Também sinto falta que me ralhes, que me chames à razão. Apesar de nunca o teres feito, tenho saudades disso mesmo. Gostava de reviver os momentos que nunca vivemos, nas horas de diálogos nunca tidos, em dias nunca vividos. Mesmo sem ser à lareira que nunca tivemos, ou no carro em que nunca me ensinaste a conduzir, sinto a falta das tuas ideias, da tua opinião.
Sabes, sinto-te falta sem nunca te ter tido para mim.
E tenho saudades tuas, muitas saudades tuas pai.

tags:

06
Mai 12
publicado por Sofá Rouge, às 17:58link do post | comentar | ver comentários (1)

Sentes que sentes
mas sentes tu que sentes
ou apenas sentes que sentes
se não sentes que sentes?

tags:

05
Mai 12
publicado por Sofá Rouge, às 14:32link do post | comentar | ver comentários (1)
Sente-se o suco que espreita
em beijos ejaculados e dados
de frios abraços perdidos
e jeitos de peitos colados
no tempo que ficamos despidos
em esperas de mais sementes
que de poucas foram sentidas
mas vividas no ventre coberto
ou beijinhos incessantes de calor
nos intervalos do nosso amor.
tags:

Maio 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
16
19

21
22
23
25
26

27
28
29
30
31


comentários recentes
Das coisas mais belas que li... De uma simplicidad...
Maravilhoso texto sobre o tempo, um recurso que de...
Gosto da sua escrita... gosto mesmo muito, gosto d...
Não gosto de rótulos nem de catalogar as coisas......
Gosto tanto da forma como expõe ideias, gosto da m...
Posts mais comentados
43 comentários
39 comentários
18 comentários
13 comentários
11 comentários
Donativos
subscrever feeds