22
Out 12
publicado por Sofá Rouge, às 16:03link do post | comentar

Despeço-me do pôr-do-sol com um beijo ao horizonte. Abraçam-se pedaços de areia, soltos ao vento, em rituais amantizados. Quer-se lua cheia mais à noitinha.
Saem abraços ocos das pegadas soltas dos amantes que lestos peneiram o areal e divagam sobre o luar que atraca na maré.


publicado por Sofá Rouge, às 15:55link do post | comentar

Ouvi o vento segredar-te ao ouvido
que a aragem trazia desgraça
que a besta trazia passagem
que a praga dizia até já!
Ouvi o vento segredar-te ao ouvido
segredos inúteis de preces rezadas
e braços prezados em mãos penitentes.
Ouvi o vento berrar-te ao ouvido
que ouças o sopro gritado do vento
e largues as queixas de hirtas memórias

ao passo que secas as duras vitórias
no leito do rio que acorda rasteiro
com o sopro do vento que silva matreiro.

Outubro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

14
15
16
19
20

26
27

28
31


comentários recentes
Das coisas mais belas que li... De uma simplicidad...
Maravilhoso texto sobre o tempo, um recurso que de...
Gosto da sua escrita... gosto mesmo muito, gosto d...
Não gosto de rótulos nem de catalogar as coisas......
Gosto tanto da forma como expõe ideias, gosto da m...
Posts mais comentados
43 comentários
39 comentários
18 comentários
13 comentários
11 comentários
Donativos
subscrever feeds